28/02/2024 às 17h56min - Atualizada em 29/02/2024 às 00h00min

Gestão de Terceiros e Auditoria de Campo: Iniciativas Cruciais para a Ética nas Cadeias Produtivas

Especialista destaca a eficácia da Gestão de Riscos de Terceiros e das Auditorias de Campo da Bernhoeft na prevenção do trabalho escravo ou análogo ressaltando a importância da monitorização contínua e seleção criteriosa de fornecedores para promover práticas éticas nas cadeias produtivas

KR2 Comunicação
freepik

No atual cenário de negócios, a Gestão de Terceiros e as Auditorias de Campo emergem como ferramentas fundamentais na prevenção de riscos associados à terceirização, como o trabalho escravo ou análogo nas cadeias produtivas. A Bernhoeft, reconhecida por sua liderança em soluções de Gestão de Riscos de Terceiros, destaca a relevância crescente dessas práticas, especialmente no contexto do Dia Nacional do Combate ao Trabalho Escravo, em 28 de janeiro.

Recentemente, dados alarmantes sobre essa prática ilegal foram divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego: de janeiro a 14 de junho de 2023, um total de 1.443 trabalhadores foram resgatados de situações análogas à escravidão no Brasil, e 174 estabelecimentos foram fiscalizados, com mais de R$ 6.9 milhões em verbas salariais e rescisórias pagas aos trabalhadores libertados. Este cenário sublinha a urgência de medidas efetivas na prevenção de práticas desumanas nas cadeias de produção.

Bruno Santos, especialista e sócio da Bernhoeft, salienta que a Gestão de Riscos de Terceiros (GRT) e as Auditorias de Campo são cruciais para mitigar esses riscos, fornecendo uma visão clara das condições laborais nas cadeias de fornecimento, muitas vezes ocultas pela terceirização. Ele também destaca que o desafio é amplo, afetando diversos setores, especialmente o agronegócio, que enfrenta riscos elevados devido à sua natureza geograficamente dispersa. Abaixo, o especialista destaca algumas das melhores práticas:

Melhores Práticas e Desafios:

  • A seleção cuidadosa de fornecedores e a avaliação contínua de sua saúde financeira e reputação são citadas como práticas fundamentais. A homologação de fornecedores auxilia nesse processo;
  • Rotina de auditorias nos fornecedores mais críticos;
  • A cultura empresarial, com foco no bem-estar dos trabalhadores, é outro aspecto crucial destacado;
  • O Brasil enfrenta desafios únicos na fiscalização do trabalho escravo devido à sua vasta extensão territorial e limitação de recursos, colocando maior responsabilidade nas empresas para manter práticas éticas.

Perspectivas de Mercado e Futuro da Gestão de Terceiros:

Bruno Santos, ao analisar o futuro da gestão de terceiros, enfatiza a importância da adaptação constante às mudanças na legislação e nas tendências de mercado. Ele prevê um papel cada vez mais integral da gestão de terceiros em diversos setores, dada a sua eficácia na prevenção de práticas inaceitáveis nas cadeias de produção. Santos ressalta que, apesar dos desafios, nenhum setor está imune, e a abordagem preventiva da Gestão de Terceiros é crucial para evitar tais situações desumanas e que além dos vários impactos sociais negativos, trazem riscos relacionados a imagem, marca e reputação das organizações contratantes.

Sobre a Bernhoeft

Fundada em 1996, a Bernhoeft é uma empresa nacional que presta serviços diversos nas áreas de BPO, Cálculos Judiciais, Gestão de Terceiros e Consultoria Tributária. Foi a primeira empresa no Brasil a realizar serviços de Gestão de Terceiros. Atua com companhias nacionais e internacionais de diferentes portes e segmentos e conta com uma equipe de mais de 550 profissionais capacitados e com expertise na gestão dos processos de seus clientes. Atualmente, a empresa é gerenciada pelo sócio Luiz Carlos Bernhoeft Jr. e mais nove sócios que se dividem nas áreas de negócios da empresa.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://cariocanews.com.br/.